Páginas

October'16

Outubro foi um mês muito calmo de adaptação ao Secundário. Foi um mês de tardes a estudar e do inicio da época de testes. Foi altura de conhecer melhor outras pessoas, de estar atenta, de treinos duros e exigentes e de me estrear no praticável esta época. Foi o mês em que o MasterChef Australia voltou (que é só o meu programa de televisão favorito!) e em que experimentei deliciosas receitas. Em Outubro recebi os elogios mais simples mas os mais criativos e mais impactantes. Apercebi-me que estou onde sempre quis estar e que mereço estar onde estou. Fui à peregrinação Nacional de Escuteiros com mais milhares e milhares de pessoas com as mesmas ideologias que eu. Foi lindo e pude encontrar as pessoas incríveis com que fizemos laços no Go3 e que felizmente temos as redes sociais que nos ligam. O escutismo é um movimento do qual faço parte há muitos anos e é sempre incrível fazer parte disto, saí de lá de coração cheio. Em Outubro ri muito com as histórias mais parvas e escrevi muito em papel. Fez um ano desde que adoptámos o Spot e se estava receosa no inicio hoje já não me imagino sem ele! Os animais são realmente das melhores coisas que existem.

Fui visitar os avós e fui passear a Ferreira do Zêzere, localidade que tive a oportunidade de explorar em Junho e que voltei para mostrar aos meus pais os locais mais incríveis a e a melhor vista para o rio Zêzere. Acho que a coisa mais incrível que aconteceu em Outubro foi ter sido escolhida para uma daquelas experiências que tens uma vez na vida. Fui escolhida por mérito próprio e não podia estar mais feliz. Ainda só estou no inicio do processo e já tem sido incrível. Tenho pelo menos uma viagem marcada e outra em planos, vamos ver o que sai daqui! Outubro foi um mês muito leve, não teve acontecimentos arrebatadores nem explosivos, foi feitos de pequenas coisas, pequenos momentos, pequenos gestos. Foi um mês bonito de folhas no chão e de felicidade genuína e não poderia estar mais grata pelas mais simples coisas que aconteceram.




Update sobre o Secundário!

O Secundário tem sido uma experiência diferente. Não tem sido muito fácil conciliar tudo, como podem ter reparado na minha ausência nos últimos dias mas tenho descoberto tanto..! Tem sido muito diferente e ainda me estou a adaptar. Felizmente ainda nada descarrilou, tenho mantido a matéria em dia e tenho me organizado bem. Neste momento não é assim tão diferente do Básico, os testes são mais puxados mas além disso é normal. Adoptei novos métodos de estudo e tenho estudado todos os dias. Para além disso tenho conhecido muita gente diferente de mim e que me pode abrir horizontes mas continuo a ir ter sempre que possível com os amigos de sempre. Tem sido incrível, estou a gostar imenso e sinto que estou mesmo no sítio certo. Estou exactamente onde quero estar e esta sensação ultrapassa os professores irritantes e as matérias chatas. Tem sido uma jornada muito interessante, repleta de aprendizagens. E que continue assim!


Os Meus Interesses

Segundo a minha família ao longo deste último ano tenho marcado muito mais a minha posição, consegui finalmente descobrir aquilo que fazia o meu coração bater mais forte e descobrir os meus mais reais interesses. Sinto que neste último ano vinquei muito mais a minha personalidade e os meus gostos e foi tudo acontecendo muito naturalmente. Acho que estou mesmo na fase de descobrir quem sou e como sou e aquilo que me põe os olhos a brilhar.

Há um ano perguntavam me no que tinha realmente interesse e eu responder-vos-ia que gostava muito de ginástica mas hoje tenho uma resposta muito mais completa. Eu gosto de viagens, de arte de museus e de arquitectura. Sou apaixonada por fotografia, por línguas e pela escrita. Gosto de moda, de cultura, de História e de descobrir o mundo. O meu coração bate mais forte quando pinto, quando leio e quando passeio. Hoje sou muito mais Leonor e muito mais aquilo que sempre quis ser: uma miúda para quem os pormenores importam, que tem gostos vincados e que reflectem na perfeição quem sou e como penso. Quando me interesso eu procuro saber mais e conhecer mais e é algo que me dá um enorme gozo fazer. É tão bom finalmente encontrar mos aquilo que somos e não termos necessidade de fingir que somos alguém que não nós. Tenho cada vez mais a minha identidade e é tão agradável esta sensação!



Em 2017 vou fazer uma viagem. Talvez mais do que uma, quem sabe!

TRAVEL GUIDE: PARIS | Detalhes da Viagem para Nunca Esquecer

Nesta publicação trago muito  daquilo que absorvi durante os doze dias de viagem por território francês. Absorvo muito os momentos e reparo muito nos detalhes. Tenho olho para os pormenores e tenho uma certa perspicácia para captar momentos, eu lembro me de demasiadas coisas e ao longo dos dias que escrevi todas as publicações deste Travel Guide fui me lembrando de pequenas coisas. São memórias que quero que permaneçam, aprendizagens que fiz com os meus primos e com os meus pais, comigo mesma e com as pessoas com quem conversei quer sobre a vida quotidiana, experiências ou factos, momentos para guardar e curiosidades para saborear. Pormenores que terão sempre um lugarzinho especial nesta viagem que fica aqui registado para um dia me lembrar muito mais nitidamente desta aventura. Aqui fica um grande pedaço do que fui a minha estadia, aproveitem e matem curiosidade e aprendam qualquer coisa!

Na viagem para lá li o Quidditch Através dos Tempos e para cá li o Harry Potter and The Cursed Child. Houve três momentos durante toda a viagem em que comecei aos pulinhos de entusiasmo: quando cheguei a Versalhes (por sempre ter sido um sonho), quando vi a loja Elie Saab e quando finalmente encontrei o Harry Potter and the Cursed Child à venda. O rapaz dos crepes à frente do Arco do Triunfo disse-me que falava muito bem inglês e que me ia dar muito jeito no futuro. Se necessitam de ténis o melhor local para comprar é à volta do Centre George Pompidou, tem muitas lojas, muita variedade e geralmente são mais baratos que em Portugal. Apanhei três filas e paguei para entrar em três locais. Num estação de metro estava uma orquestra de cordas a tocar Canon in D que é só das minhas musicas clássicas favoritas. O voo para cá foi o meu décimo (sim, eu conto as vezes que ando de avião). A seguir à bandeira francesa e logo depois à da União Europeia a bandeira que mais vi foi a portuguesa. No aeroporto de Lisboa passei à frente da Victoria's Secret mas não pude parar. Os corredores da estação Chatelet nunca mais acabam. Numa das estações que dá acesso ao Louvre - a Louvre Rivoli - tem réplicas das estátuas expostas no museu nos corredores. A grande maioria das mulheres tem uma mala Longchamp. A caminho do aeroporto uma placas (daquelas que costumam dizer "com chuva modere a velocidade") dizia Paris Vous Aime e derreti como é óbvio. Existe uma estação que tem pinturas do português Cargaleiro nas paredes. Há três arcos do triunfo em Paris e apesar de não estarem perto estão todos alinhados. O nome do General Charles de Gaulle está em todo o lado. Quis muito ir ao Pink Flamingo Pizza mas não consegui lá ir. Vão Marché aux Fleurs de manhã, fui de tarde e já estava quase tudo fechado.

Estive no mínimo em cinco locais onde tiraram fotografias que já vi milhares de vezes no Tumblr. Paris foi um banho de cultura escutista: fui falar com escuteiros italianos que me explicaram todos os distintivos e a minha prima francesa esteve me a explicar toda a farda dela, quão giro é isto? Na mala para cá trouxe mais mapas, bilhetes e papéis que roupa. Durante uns segundos dancei com a minha mãe na Galeria dos Espelhos. A minha fotografias favorita de toda a viagem é aquela em que estou eu e a minha prima a fazer pose de pop star em Giverny porque capta bastante quem somos e a nossa relação. Se arranjarem um alojamento e um voo barato e tiverem menos de 26 anos Paris é uma viagem barata! A Pont des Arts não tem cadeados. Não achei as lojas dos museus  e monumentos nada de especial já que ou não tinham nada de interessante ou o que era giro era absurdamente caro. Nas esplanadas a grande maioria das cadeiras estão viradas para a rua (quando não são todas mesmo). Os audio guias no Louvre são Nintendos 3DS. No Marche aux Fleurs há um aviso numa lojinha que diz que só se pode tirar fotografias se se cumprimentar os proprietários dizendo bom dia. Há muitos casais a fazer sessões de Trash the Dress e fotografias de casamento em Paris. No Trocadéro há muito policiamento para apanhar os vendedores de souvenirs ilegais, dá para ver policias à paisana em acção!

 Eu procurei um This Is a Good Kiss Spot e este já não existia. Ainda em Portugal disse logo que não fazia questão de subir à Torre Eiffel. Para além de ter comprado souvenirs e comida, comprei umas sapatilhas, um colar, um livro e um top. Paris não tem muitos artistas de rua comparando com Londres. Há imensos pedintes e sem abrigos. Metade das lojas de museus são livros. Uma vez houve um atentado que aconteceu com uma bomba num caixote do lixo e por isso os sacos do lixo da cidade são quase todos transparentes. Vi muita gente a andar de trotinete, patins, skate e long board na estrada à mesma velocidade que os carros. Apesar de já ter estado em Paris eu achava que dava para passar de carro por debaixo da Torre Eiffel e do Arco do Triunfo. Os turistas japoneses são imensos e vão estar sempre no local perfeito para tirar aquela fotografia, é um facto. Paris é um local preferido para despedidas de solteiros. A Pont Neuf (Ponte nova traduzida à letra) é a ponte mais antiga da cidade. No sistema de educação francês só se escolhe uma área na transição do décimo para o décimo primeiro ano e não há curso de artes visuais no ensino regular. Os programas que dão depois dos telejornais na televisão francesa são muito mais giros que os portugueses! Sentirem-se pobres e mal vestidos enquanto passeiam pelas ruas dos grandes costureiros é completamente normal. De noite a Torre Eiffel tem um espectáculo de luzes durante cinco minutos a cada hora, infelizmente eu não consegui ver. Fui cumprimentada com três beijinhos e a minha mãe com quatro de uma senhora amiga. Paris tem muitas escadas. Vi um menino a ser afastado de uma espectacular e gigante loja da Lego enquanto reclamava que era o sítio mais fantástico do mundo. Em todo o lado os selfie sticks são proibidos mas pelos vistos ninguém respeita as placas. Nos supermercados todos os carrinhos de compras têm uma baguete. Há três personalidade francesas que são sempre muito destacadas: Louis XIV, Napoleão Bonaparte e Charles de Gaulle. Paris antigamente era denominada de Lutécia.


Peregrinação Nacional de Escuteiros 2016

E este fim-de-semana passou a correr! Começou cedo, de mochila às costas e com muitas expectativas para o fim-de-semana. Fomos imensos escuteiros a caminho de Fátima a partir de todos cantos do país (incluindo Madeira e Açores e o agrupamento constituído por portuguesas na Suíça) e éramos muitos (já ouvi dizer que eram trinta mil, já ouvi dizerem que éramos cinquenta mil, não sei) e lotámos a praça toda. Tentámos cantar em uníssono, renovamos promessas e foi incrível estar rodeada de tantos outros indivíduos que são como eu e que vivem dos mesmo ideais e com os mesmos modelos de vida.

Apesar das falhas na organização (como sempre) que eu felizmente não tive que lidar apesar de ter ouvido inúmeras queixas, foi um fim-de-semana feliz marcado especialmente pelo reencontro dos amigos do Go3 que moram a demasiadas horas daqui e em que raras são as oportunidades de nos abraçar-nos e de nos vermos. Foram as mensagens trocadas para nos encontrar-nos no meio da multidão e para trocar palavras de saudade, discutir pronuncias, muitos abraços e fotografias para guardar estes momentos incríveis. Antes de partirem para o Porto e para Braga prometemos voltar a encontrar nos e neste momento dou graças às redes sociais por nos ligarem. O escutismo deu-me amizades incríveis que são sem dúvida das melhores heranças que dez anos no movimento me trouxe

Um fim-de-semana cheio de surpresas e de sentimentos, fomos um, cantámos, acendemos velas, fomos milhares a rodar os nossos lenços e bandeiras no ar e não podia estar mais de coração cheio. É tão bom fazer parte disto, é mesmo.

fotografia da minha autoria

CLOSET | New Balance 373

Após muitas reviews, conselhos e depois de ver os milhões de modelos e de cores diferentes nos pés dos que passam eu apercebi-me que umas sapatilhas New Balance eram aquilo que eu precisava. Queria comprar para levar para a viagem mas infelizmente não havia o que queria ou aquilo que me agradava minimamente era estupidamente caro e então decidi esperar por Paris. A verdade é que corri as lojas todas à procura de uma pretas ou cinzentas mas acabei por me apaixonar por uma azuis escuras com pormenores em cor-de-rosa, cinzento e branco na loja da New Balance no Forum des Halles bem pertinho do Centre Geoges Pompidou. Tinha levado as minhas velhas Converse pretas e já não aguentava dar nem mais um passo com estas já que após algum tempo a andar se tornavam desconfortáveis e chegavam a magoar. Assim que calcei as New Balance veio um pequeno alívio, a dor de pés foi-se (não completamente mas aliviou muito) e andei com eles o resto da viagem. E tenho a dizer que são mesmo muito confortáveis e práticos. A única coisa que não me tem agradado é a cor se desvanecer muito rápido. Não os tenho usado muitas vezes e a cor já começou a enfraquecer, mas de resto, estou muito surpreendida com a confortabilidade, versatilidade que têm! E sim, são cem vezes mais giros e as cores são muito mais bonitas na realidade e dão com (quase) tudo!



TRAVEL GUIDE: PARIS | Paris Está nos Detalhes

Paris não são só os milhares de turistas e os edifícios e monumentos conhecidos mundialmente. Paris é as ruas estreitas, os pormenores, as casas bejes e os telhados cinzentos que condizem com o clima da cidade. Paris está nos pormenores que não saltam à vista de todos, está nas pessoas que conhecem este sítio como a palma da sua mão e que fazem o seu quotidiano pelas ruas que tanto me apaixonam. Paris está na arte que está presente em todo o lado, nas pequenas decorações e nos mais ínfimos lugares. Paris está na delicadeza dos materiais, das paredes, dos passeios e sobretudo Paris vive muito dos seus detalhes, que é aquilo que mais me cativa. A essência da cidade está naqueles que habitam lá, nas belas fachadas, nas flores na varanda e nas placas tão típicas verdes e azuis com os nomes das ruas. Paris está nos detalhes e esta publicação é mais fotográfica que escrita e contem alguns detalhes que captei na cidade. Espero que gostem!

Todas as fotografias são da minha autoria