Páginas

PERSONAL | Cabelo: Uma Questão de Comprimento

Se a Leonor de há três anos me visse agora começava aos berros. Naquela altura eu e o meu cabelo pelo meio das costas jamais imaginaríamos o que me ia passar pela telha. Um dia apeteceu-me e cortei muito mais do que cortava habitualmente e tornei isso um hábito. Adeus às pontas espigadas e pontas secas e olá ao cabelo fresquinho e renovado.

Penso que nesta vida não nos devemos apegar a nada, seja a pessoas, a situações ou até a estilos ou penteados, nós mudamos e o nosso crescimento tem que se reflectir no largar daquilo que já não faz sentido. Cortar muito o cabelo foi algo de desprender-me daquilo que me tornou tão dependente. Penso que tinha um complexo com cabelos e por alguma razão para mim cabelos bonitos eram gigantes, quão enganada estava... Chorei sobre cabelo derramado e só pedia que inventassem uma cola qualquer mas o que está feito não tem retorno. Larguei-me da rotina do cabelo pesado e sempre na cara em todo o lado, das horas  pentear, secar e lavar e ainda das pontas nojenta porque me recusava a cortar mais que uma vez por ano com a desculpa que precisava de cabelo para fazer os coques da ginástica - querida Leonor do passado, laca, gel e ganchos fazem magia! Corto o cabelo de três em três meses, por vezes nem preciso de o pentear e seca num instante e deixou de ser uma carga de trabalhos.

No fundo o meu cabelo enorme era um escudo protector no qual me escondia de uma forma peculiar e um golpe de tesoura, parecendo ou não, foi o libertar destas amarras que me prendiam, bendito o dia em que me levantei cheia de coragem. Esse dia no cabeleireiro foi um dia de viragem e não pretendo voltar a ter aquele tamanhão de cabelo. Segunda feira, cortei outra vez mais que o aquilo que se tornou habitual, em vez de pelo cimo do peito foi pelo o ombro e estou a amar e sentir-me muito! É um salto de fé compreensível e parecendo ou não foi das coisas mais incríveis que já fiz por mim!


9 comentários:

  1. Olá Leonor!
    Nas férias do verão do ano passado aconteceu-me a mesma coisa! Eu tinha o cabelo enorme, porém não parecesse pois tinha muitos jeitos. Até que cheguei ao cabeleiro e deu me na cabeça e quis cortar o cabelo pelos ombros, pedi para assim o ser e fiquei mega feliz com o resultado. Agora não me imagino com o cabelo grande. Cabelo curto é bem mais fresco, agora para o verão.
    Beijinhos

    O Planeta da Inês | Summer Inspiration

    ResponderEliminar
  2. Na minha opinião está incrível! Também cortei mais do que o habitual da última vez que fui ao cabeleireiro... No entanto, uma vez que tenho o cabelo encaracolado, torna-se tudo mais difícil e imprevisível... De qualquer modo, em setembro estou lá outra vez e, quando a cabeleireira me perguntar "Só as pontas?", eu direi, ainda que a medo, "Corte à vontade". Percebo a sensação de libertação e leveza!
    Estás giraça, miúda!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Lembro-me tão bem da primeira vez que cortei um palmo e meio do meu cabelo e de sentir exatamente essa sensação de coragem (:

    ResponderEliminar
  4. A primeira vez que fiz um corte à séria foi em 2014 e, desde então, faço sempre "cortes radicais", como diz a minha cabeleireira. Eu acho que ficou maravilhoso, mas isso já sabes porque fiz questão de to dizer no momento.
    Continua assim, fiel a ti própria e sem medo de arriscar! É assim que te aproximas cada vez mais da Leonor que procuras ser :)

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito do teu corte de cabelo :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  6. tenho a certeza que ficou incrível! :D

    ResponderEliminar
  7. não podia ter dito melhor!!! para mim os cabelos só eram giros compridos (tal como tu) mas há bem pouco tempo comecei a adorar cabelos curtos só tinha medo que não me ficassem bem a mim
    mas também decidi mudar e adoro o resultado
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Tens uma carinha laroca e este tipo de corte fica-te mesmo bem! Sou mesmo da opinião que devemos arriscar naquilo que achamos que tem potencial para nos deixar mais felizes. Fizeste muito bem em arriscar.
    Quando cortei como tu, arrependi-me imediatamente, também não me prendo a este tipo de coisas, mas não gostei nada mesmo de me ver e passei dois meses a sentir-me mesmo mal. Por isso, continuo a ser da team cabelos compridos. De qualquer forma, gosto muito mais de ver, no geral, o cabelo mais curtito nas outras raparigas!

    ResponderEliminar
  9. Se achas que cortar pelos ombros é incrível, experimenta arriscar e cortá-lo super raso, À la garçonne. É uma sensação incrível desprendermo-nos do nosso cabelo e mostrar que não dependemos dele para nos sentirmos bonitas! E fico contente por saber que, tão cedo, já descobriste isso! Aos penteados curtos! \Õ/

    Beijinhos,
    LYNE

    ResponderEliminar